sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Tendências da tecnologia

Depois de anunciar, na mensagem anterior, o carácter abrangente da discussão em torno do tema deste blogue, senti-me com alguma liberdade para escolher o ponto de partida da nossa "viagem ao centro da Fotografia". Resisti ao impulso primário de contar a história toda da actividade fotográfica, desde pequenina - que aborrecido e carente de dinâmica seria, convenhamos! - e achei por bem começar pela actualidade, propondo uma análise às mais recentes inovações tecnológicas, no âmbito do aparelho fotográfico.
Poderão pensar que me preparo para enaltecer os milhões de píxeis da Nikon EOS 900 ou os disparos contínuos da Pentax Lumix F1 ou, ainda, o recorte das "lentes" Sigma Zuiko AT-X Macro G que põe a resolução das Tamron Elmarit MEGA O.I.S. a um canto. Nada disso!
Refiro-me a três conceitos inovadores protagonizados, respectivamente, pela Fujifilm FinePix REAL 3D W1, Nikon Coolpix S1000pj e Samsung ST550, que constituem bons exemplos do nível da atenção que os fabricantes têm dedicado aos mercados. E, se a última pode ser considerada variação sobre um tema já muito visto, facilitando o autorretrato (será que vamos deixar de pedir aos outros turistas que nos "tirem uma fotografia"?), já as duas primeiras são verdadeiras pioneiras.
A Nikon é uma autêntica dois-em-um, com o seu projector VGA, integrado. Já não é preciso andar a ligar cabos à televisão ou transferir as fotografias para o computador, para as vermos com uma ampliação digna do nosso esforço de fotógrafos, por muito amadores que sejamos. Feitas as fotos, basta apontar a câmara para uma parede - branca e lisa, já agora! - e carregar num botão, para que as imagens sejam projectadas. A Fujifilm, por seu turno, é primeira câmara fotográfica estereoscópica da era digital. Tal como a nossa visão, a W1 também possui dois "olhos", por detrás dos quais se encontram outros tantos sensores de imagem. Voltamos, assim, aos gloriosos tempos dos pares fotográficos, estereoscópicos, do século XIX. Quem já teve a ventura de observar alguns desses pares, facilmente percebeu porque faziam eles as delícias da burguesia daquela época. Hoje,  no entanto, tudo é feito por dia digital, mas sempre com o mesmo objectivo: enganar os nossos sentidos. Nesta altura, o interesse está em saber se com igual eficácia.
Não há dúvida de que as actuais tendências da tecnologia nos trazem novidades, insuspeitadas há pouco tempo atrás. Mas, sobretudo, fascinantes... Um pouco, a lembrar algumas das soluções magistrais encontradas pelos engenheiros das marcas para as suas câmaras e objectivas. Mas, disso, falaremos noutra altura!...

2 comentários:

geocrusoe disse...

Boas, bem-vindo à blogosfera, vou seguir o que por aqui se passa e quiçá aprender algo que me seja útil, pese embora as minhas paixões serem outras e bem identificadas no meu blog... mas nunca é tarde para aprender.
Mais uma via para nos contactarmos com mais frequência

Catia Neves disse...

Olá José,

Só agora consegui vir aqui dar uma voltinha, e aproveito para lhe deixar uma mensagem de incentivo. Gostei bastante do espacinho e desejo que o preencha não só com novidades fotográfica como também com as suas fotos.

Espero que traga muitas novidades da Africa do Sul e principalmente, espero encontrarmo-nos lá.

Um beijinho e muitas felicidades,
Cátia